O AUTO-CONHECIMENTO
 
O principio da sabedoria baseia-se no conhecimento psicológico de nós mesmos
O PODER DO SEXO

Apreender a controlar essa energia maravilhosa do sexo significa fazer-se amo da criação...

LEI DO KARMA

A lei do Karma é aquela lei que ajusta, sábia e inteligentemente, o efeito a sua causa. Todo o bem ou mal que tenhamos feito numa vida virá trazer-nos consequências boas ou más para esta vida ou próximas existências.

QUALIDADE DE VIDA

A humanidade se encontra vivendo tempos difíceis. O homem se esqueceu de "si mesmo", comete erros e suas conseqüências são a dor e as enfermidades.

ESOTERISMO

São Paulo nos diz na Bíblia: “Possuis corpo carnal e corpo espiritual”. Dispomos de práticas para que você mesmo possa ver sair a sua Alma do corpo...

Error message

  • Deprecated function: Function create_function() is deprecated in eval() (line 1 of /home/centroanael/public_html/modules/php/php.module(80) : eval()'d code).
  • Deprecated function: The each() function is deprecated. This message will be suppressed on further calls in _menu_load_objects() (line 579 of /home/centroanael/public_html/includes/menu.inc).
  • Deprecated function: implode(): Passing glue string after array is deprecated. Swap the parameters in drupal_get_feeds() (line 394 of /home/centroanael/public_html/includes/common.inc).
Estou pagando as consequências do DIU...

Gloria

Colombia

Auto observacion

Olá! O meu nome é Gloria. Usei o DIU durante 5 anos, pois uma tia do meu marido me convenceu para que o pusera.
Aos dois meses de tê-lo, comecei a sentir dores de cabeça, cansaço físico, inflamação permanente na matriz, menstruava 2 vezes por mês com hemorragias de 10 a 12 dias. Também padeci de frialdade sexual e perca progressiva de peso.
De cada vez que visitava o meu médico e lhe contava todos os meus problemas, ele dizia-me que isso era totalmente normal e que esperava que o meu organismo se acostumasse ao dispositivo.


Depois de 5 anos de tanto sofrimento, uma amiga me comentou que aos 5 anos deveria mudar o dispositivo por outro novo. Fui ao hospital para que o extraíssem e o médico me aconselhou a que não o fizesse porque poderia ficar grávida. Me falou da situação económica, que não era para ter outro filho. Eu senti como se me estivesse a “lavar o cérebro”.
Sempre que regressava ao hospital insistindo que me retirassem o dispositivo, o médico me aconselhava a que não o fizesse.
Um dia tive a ideia de pedir que me extraíssem o dispositivo por uma semana para que o meu organismo descansasse de todo o mal-estar, e que ao culminar o prazo eu regressaria para que o colocassem novamente.


Concordaram em retirá-lo, fazendo-me assinar previamente uns documentos onde me comprometia a regressar para colocá-lo novamente.
Apresentei-me no hospital no dia marcado, foi uma hora de martírio na sala de operações: sentia dores horríveis, como se me estivessem a arrancar toda por dentro. Quando conseguiram extrair o dispositivo a enfermeira mostrou-lho, estava totalmente enferrujado e coberto com bocados de carne do meu útero.
Nesse momento decidi faltar a minha palavra e não voltei mais ao hospital, estava disposta a não ter nunca mais um dispositivo dentro do meu corpo.


Fiquei sofrendo de inflamação permanente no útero e de cólicas menstruais, depois não tive menstruação durante 18 meses.
Quando o meu período voltou à normalidade, depois de longos tratamentos, comecei novamente a sofrer de hemorragias, as quais somente paravam com injecções. E assim passei muitos anos alternando períodos de suspensão da menstruação e novamente hemorragias.
Com tantos sofrimentos, comecei a pedir a Deus todas as noites, que me ajudasse a curar-me e, por misericórdia, me mostra-se em sonhos a razão de não chegar ao fim o meu sofrimento.


Finalmente tive um sonho donde apareceu um venerável ancião de barbas longas e túnica branca, que me disse: “Estas pagando o castigo por teres usado o DIU, que é um instrumento abortivo. Durante o período de 5 anos que esteve no teu útero, acabaste com muitas vidas de crianças que tinham que vir ao mundo”. Perguntei-lhe o que poderia fazer para remediar esse mal tão grande, e o venerável ancião me respondeu: “ Deves ensinar a todas as mulheres que possas, o dano que causam todos os métodos anticonceptivos e particularmente o dispositivo intra-uterino, assim irás pagando a tua dívida”.


Hoje tenho aproximadamente 10 anos de estar sofrendo todo tipo de transtornos hormonais, suspensão da menstruação, que nem a medicina oficial, nem a medicina alternativa conseguiram curar-me, apesar de que actualmente estou ensinando a muitas mulheres o dano que provoca os anticonceptivos. Compreendo que ainda me falta muito para pagar a minha dívida. Somente espero que este testemunho sirva para ajudar a muitas pessoas.